Blog de Claudio Vereza


28/01/2006


Caracas 2006 ; II

O encontro do presidente Hugo Chaves com os movimentos sociais, ocorrido ontem á noite, foi marcado pela animacao, emocao e palavras de ordem e músicas contra o imperialismo dos EUA, com palavras duras de Chaves contra el Sr.Danger-Bush.
a luta contra o imperialismo é a palavra maior do fórum, além da diversidade.
soa mais de mil atividades por dia, e é dificil encontrar os locais.
mas este encontro da diversidade é um alento forte para a busca de alternativas contra o neoliberalismo, o imperialismo, a guerra.

Escrito por Claudio Vereza às 14h23
[ ] [ envie esta mensagem ]

25/01/2006


Caaracas 2006

Uma grande marcha pela principal avenida da cidade marcou o início do Fórum social mundial em Caracas, ontem á tarde.

Nem a chuva fina q. caíu no incio da tarde atrapalhou os milhares de participantes, numa caminhada de quase 3 horas, terminando com show inciado com música brasileira, tocada por orquestra de jovens de Natal-RN, apoiada pela petrobrás.

Hoje pela manha iniciaram-se os debates, em mais de mil por dia!

Caracas parece uma cidade mundializada, com a diversidade presente nas roupas, caras, folhetos e debates plurais, tendo como ponto de unidade o combate ao neoliberalismo , o imperialismo, a guerra, a injustica.

Estamos participando com muita animacao!

Escrito por Claudio Vereza às 19h11
[ ] [ envie esta mensagem ]

23/12/2005


Impetrado Mandado de Segurança

Junto com as Deputadas Brice Bragato/Psol, Sueli Vidigal/PDT e Janete de Sá/PSB, acabamos de dar entrada em mandado de segurança contra a tramitação do projeto de lei que prevê aumento nos subsídios dos parlamentares e a volta dos famosos auxílios moradia e paletó, além das verbas de gabinete e indenizatórias. A ação foi entregue hoje à tarde em mãos de Dr. Adalto Dias Tristão, presidente do Tribunal de Justiça/ES. A ação foi assinada também pelos deputados Carlos Casteglione/PT e Paulo Folleto/PSB. 

Na segunda feira, pela manhã o madado será distribuído a um dos Desembargadores, que analisará o pedido de liminar, antes da sessão das 15 horas.

Esperamos que se faça Justiça!

Escrito por Claudio Vereza às 18h52
[ ] [ envie esta mensagem ]

20/12/2005


Vereza faz questão de ordem

A sessão da Assembléia Legislativa desta 3ªfeira foi marcada pela questão de ordem que apresentei contra a inclusão do projeto que prevê a volta dos auxílios paletó e moradia na pauta da convocação extraordinária protocolada pelo grupo de deputados autores do projeto.

Argumentei que as Constituições Federal e Estadual só permitem a inclusão de matérias com caráter "de urgência e de relevante interesse público", o que não é o caso (auxílios).

O presidente Colnago pediu prazo de 48 horas para responder à questão de ordem, que deixou os autores do projeto atordoados e nervosos.

Vamos aguardar a sessão de amanhã!

 

Escrito por Claudio Vereza às 19h33
[ ] [ envie esta mensagem ]

17/12/2005


CONGO DO 5º ENCONTRO

 

Iá!  Iá!

De alegria eu vou pocar!

Iá! Iá!

Pois do 5º vou participar!

 

Fé do povo/De Deus é fermento

Que transforma em força o lamento!

Fé do Povo/É sal, é sabor,

Que transforma o ódio em amor!

 

Fé do povo/É luz no escuro

E clareia o nosso futuro!

Fé do povo/É justiça, é verdade,

Que transforma a sociedade!

 

Fé do povo/É luta constante:

É a mística do militante!

Fé do povo/É bênção e graça:

Mil barreiras ela ultrapassa!

 

Iá! Iá!

De alegria eu vou pocar!

Iá! Iá!

Pois do 5º vou participar!

 

Pois da luta vou participar!

Fé e vida vou articular!

Fé e política articular!

Stou na luta, não posso parar!

Nossa luta vai continuar!

Capixaba vai me hospedar!

A moqueca vou saborear!

No Convento eu vou celebrar!

Lá na praia vou me bronzear!

Pois do 5º vou participar!

 

Escrito por Claudio Vereza às 19h26
[ ] [ envie esta mensagem ]

Encontro Capixaba de Fé e Política

Aconteceu hoje em Vitória o Encontro Capixaba de Fé e Política, em preparação ao 5º Encontro Nacional que ocorrerá também em nossa Capital, nos dias 11 e 12 de março de 2006.

Participei da abertura, juntamente com o prefeito João Coser/PT-ES, Marcelo Guarany, cacique da Aldeia Três Palmeiras, e Débora, secretária nacional do Movimento (veja foto acima).

Pedro Ribeiro - membro da coordenação do Movimento e assessor das CEBs -  ministrou a palestra cujo tema "Profetismo no exercício do Poder" gerou grande debate.

À tarde, aconteceram Plenárias Temáticas, a exemplo do que ocorrerá no 5º Encontro.

Veja a letra de uma das músicas do Encontro Capixaba na próxima nota.:

Escrito por Claudio Vereza às 19h22
[ ] [ envie esta mensagem ]

16/12/2005


Fim de ano sobrecarregado

Desculpem-me pela não atualização deste espaço virtual. A agenda de fim de ano está sobrecarregada e não tenho dado conta de incluir novas notas no blog.

Em breve, volto com novidades.

Escrito por Claudio Vereza às 19h06
[ ] [ envie esta mensagem ]

09/12/2005


Regional de Seu Chiquinho

A CASA DA CULTURA DA BARRA DO JUCU
APRESENTA
       
REGIONAL DO SEU CHIQUINHO

CHOROS, SAMBAS E DEMAIS
RITMOS BRASILEIROS

MÚSICOS: Grupo Regional do Seu Chiquinho, formado por
. Seu Chiquinho Firme - 78 anos, autodidata, músico deste os 8 anos de idade - solista no cavaquinho, banjo e guitarrinha, todos com afinação de bandolim;
. Sérgio Lobão, no violão de sete cordas;
. Dulce Elisa, no pandeiro e voz;
. Fábio, no surdo;
. Geraldo Pignaton - no reco-reco;
. Anita Bonadiman, Marilena Sonegueti, D. Hélida - percussão e vozes.

REPERTÓRIO: Chorinhos dos consagrados compositores e choros compostos por Seu Chiquinho, sambas, maxixes, boleros, marchinhas de carnaval.

DATA: 17 de dezembro - SÁBADO
HORÁRIO: A PARTIR DAS 20,00 HORAS;
LOCAL: CASA DA CULTURA - no balneário da Barra do Jucu - Vila Velha - ES

.

CONTATOS pelo telefone 3260 1298 com Dulce ou Lobão e 3244 7066 com Geraldo.

Escrito por Claudio Vereza às 23h30
[ ] [ envie esta mensagem ]

Pe.Xavier - Prêmio Nacional

     
Padre Xavier é eleito Personalidade do Ano 2005 em Direitos Humanos
  



O padre Xavier Paolillo, coordenador dos programas de rede de Atendimento à Criança e Adolescente (Aica), da igreja católica no Espírito Santo, foi eleito a Personalidade do Ano 2005, no Prêmio Nacional de Direitos Humanos, da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República. A entrega do prêmio, que está em sua 10ª edição, ocorrerá na próxima segunda-feira, no Ministério da Justiça.
 
Padre Xavier foi um dos seis indicados pela presidente da
Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal, deputada Iriny Lopes, dentre 48 indicações feitas por movimentos ligados ao tema. Ao todo, foram 12 os indicados em três categorias (ONGs, instituições públicas e personalidades).

Ele foi o segundo indicado mais votado. Em primeiro lugar, ficou uma mãe de santo da Bahia, indicada pela sua luta contra o racismo. Em terceiro, uma senhora de 88 anos que dedicou décadas em prol de pessoas portadoras de deficiências e, em quarto, a autora de novelas Glória Perez, pelo conjunto da obra, com abordagem de questões sociais.

O padre Savério Paolillo (Xavier foi uma tradução do italiano, sua origem, para o português dada pelas crianças que tinham dificuldade com o nome), está no Estado desde 1999. Seu primeiro trabalho foi ampliar o atendimento de crianças e adolescentes que já ocorria em Novo Horizonte, na Serra, para outro bairro do município, Central Carapina. A ampliação dessas casas de atendimento se transformou em uma rede, a
Aica, que hoje atende 700 crianças e adolescentes em situação de risco.

Padre Xavier, desde que chegou ao Brasil, em 1986, se envolveu com a causa de crianças e adolescentes. Na Pastoral do Menor, foi um dos fundadores do Cedeca (Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente) de Sapopemba, em São Paulo, denunciou as precárias condições das unidades da Febem (Fundação do Bem Estar do Menor), exigindo que fossem cumpridas as normas do recém-lançado Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).  


Escrito por Claudio Vereza às 23h27
[ ] [ envie esta mensagem ]

04/12/2005


Dos-Vox - Endereços

Visite o saite do Projeto DOS-VOX, o programa que permite aos cegos o acesso a todas a ferramentas da informática, inclusive a internet.

http://intervox.nce.ufrj.br/dosvox

Ouça também a Rádio Dos-Vox na internet, no seguinte endereço:

http://intervox.nce.ufrj.br/dosvox/radio.ram

 

Escrito por Claudio Vereza às 11h15
[ ] [ envie esta mensagem ]

02/12/2005



COMUNICADO

 

POVO KRENAK FECHA ESTRADA DE FERRO VITÓRIA-MINAS

 

  1. A Terra Krenak

Nós, do povo Krenak, somos habitantes imemoriais do Vale do Rio Doce, região leste de Minas Gerais. Contamos hoje com uma população estimada em 250 pessoas.

Após anos de guerras com os colonizadores fomos aldeados pelo Serviço de Proteção ao Índio (SPI), em 1910, em uma área de 4 mil hectares na margem esquerda do Rio Doce, no atual  município de Resplendor, MG.  Mesmo assim, os conflitos continuaram e por duas vezes (1959 e 1972) fomos retirados de nossas terras pelos governos federal e estadual, o que resultou numa grande dispersão do nosso povo para os estados de S.Paulo, Mato Grosso e outras regiões de Minas Gerais. Em 1972 fomos transferidos para a Fazenda Guarani, no município de Carmésia (MG) e nossas terras entregues a fazendeiros. Somente em 1997 conseguimos retoma-las. Porém, a degradação ambiental é total, devido aos longos anos de exploração das terras por atividades agropecuárias e extrativistas.

Entretanto, uma importante área do antigo território Krenak, a região conhecida como Sete Salões, até hoje não foi demarcada, apesar de constantemente reivindicada por nós. Esta área, localizada na margem direita do Rio Doce, foi ilegalmente transformada em unidade de conservação com o nome de “Parque Estadual Sete Salões”. Em 2004 a FUNAI assumiu compromisso com o nosso povo e perante o Ministério Público Federal-MG, de criar  Grupo Técnico(GT) com o objetivo de iniciar os trabalhos de demarcação desta terra indígena, mas recuou diante dos interesses contrários do governo de Minas Gerais.

 

  1. A CVRD x Povo Krenak

A Companhia Vale do Rio Doce –CVRD foi e continua sendo uma das grandes responsáveis pelo nosso sofrimento. A construção da Estrada de Ferro Vitória-Minas, no início do século passado, propiciou a entrada maciça e desordenada de trabalhadores e fazendeiros na região. As consequências foram o rápido desmatamento, a invasão das nossas terras, e conseqüentemente perseguições e morte de famílias inteiras, quase levando ao genocídio e etnocídio do nosso povo. Além disso, a extração ininterrupta do minério de ferro, por várias décadas, têm provocado a poluição e a degradação do Rio Doce, reduzindo a pesca e trazendo doenças para nós e toda a população do Vale do rio Doce.

 

  1. O consórcio da UHE Aimorés x  Povo Krenak

Nos últimos anos o nosso povo está sofrendo os problemas causados pela Usina Hidrelétrica de Aimorés (UHE). Estudos comprovaram vários impactos negativos para o nosso povo e a nossa terra, mas o consórcio construtor da usina (CVRD e CEMIG) rompeu o diálogo com a nossa comunidade, suspendendo as discussões sobre as compensações e indenizações devidas.

Diante de tudo isso, decidimos fechar a Estrada de Ferro Vitória-Minas até que as nossas reivindicações abaixo sejam atendidas:

 

  1. Que a FUNAI constitua imediatamente um Grupo Técnico (GT), para a identificação do Sete Salões como Terra Indígena Krenak; 
  2. Que o consórcio da UHE Aimorés retome imediatamente o diálogo com a nossa comunidade com o objetivo de definir as compensações e indenizações devidas;
  3. Que seja iniciado o diálogo entre a CVRD e nossa comunidade para entendimentos quanto aos impactos causados pela construção da ferrovia.

Aldeia Krenak, 01de dezembro de 2005

 

ASSOCIAÇÃO INDÍGENA KRENAK

Escrito por Claudio Vereza às 23h04
[ ] [ envie esta mensagem ]

25/11/2005


Banco Terra

Inaugurado, agora à noite, o Banco Terra, com sede no Bairro Barramares, vizinho da famosa Terra Vermelha, bairro que surgiu da luta do povo de V.Velha/ES por moradia digna aos Sem-Teto.

Estive presente e parabenizei as lideranças locais, que mostram criatividade, empreendedorismo popular e engajamento na Economia Solidária, a economia construída pelos de baixo, os trabalhadores. Também parabenizei o Movive, ong de Vila Velha, que apoia a iniciativa.

O interessante é que os dois Bancos Populares pioneiros no E.Santo são de bairros estigmatizados pela mídia e por setores da sociedade como Bairros violentos e perigosos. É desses bairros, onde moram trabalhadores(as), que surgem as iniciativas de sucesso para os próprios trabalhadores.

O Banco Bem, de S.Benedito, em Vitória, já é um sucesso enorme e o Banco Terra também o será, com certeza.

Lá, fiz o compromisso de apresentar emenda parlamentar ao orçamento de 2006, no valor de R$ 10 mil.

Parabéns, povo da chamada Grande Terra Vermelha.

Escrito por Claudio Vereza às 23h27
[ ] [ envie esta mensagem ]

24/11/2005


O texto é grande, mas é bom.

Denúncia

Marcelo Rubens Paiva é escritor.

"De onde falam?"
"Da redação, boa tarde."
"Queria fazer uma denúncia."
"Contra quem?"
"Não sei exatamente. Com quem que eu falo?"
"É contra o PT?"
"Tô tentando dormir e... Tô chocado."
"Tá todo mundo, companheiro, só se fala nisso."
"Com quem eu posso reclamar? É que aqui em cima..."
"Mas é contra o PT?"
"Não sei, é?"
"Vou te passar pro repórter que tá cobrindo. Um minutinho."
"Alô, alô?"
Pausa.
"Oi, quem é?"
"Eu queria fazer uma denúncia."
"Contra o PT, né? A telefonista me avisou."
"Não sei se é contra o PT."
"Pode abrir, cara, tá todo mundo falando o que sabe."
"Olha, não durmo direito."
"Tá difícil, a maior decepção. Não adianta falar do baixo clero, porque daí os caras dizem que só estavam cumprindo ordens, temos que ir direto à cúpula, temos de chegar em quem manda, em cima."
"Concordo, totalmente. Que bom que estamos nos entendendo. E quem é que manda?"
"Boa pergunta. Ninguém sabe ao certo. Achávamos que era o Zé Dirceu, mas ele nega. Tem o Delúbio, o Silvio Pereira... O presidente tá blindado. Por enquanto. Mas é contra eles a denúncia?"
"Não."
"É como chutar cachorro morto, certo? A gente tá precisando de algo novo."
"Contra quem?"
"Contra o Palocci."
"Coitado."
"Pois é, o senhor vê, até ele... Se não, meu amigo, passar bem. Um Abraço."
"Não desliga, não! Eu preciso de ajuda!"
"É contra o Palocci? Por que você não disse antes?"
"Você não está entendendo."
"Agora, estou. Fique tranqüilo, que é política da editoria não divulgar as fontes que não queiram se identificar, Uruguaio."
"Uruguaio?"
"Vamos chamá-lo assim."
""Quem?"
"Você."
"Mas, por quê?"
"Porque precisamos de um codinome, Deep Throat, Mister X... Vamos lá, Uruguaio, qual a denúncia?"
"Não curti esse codinome."
"Um minutinho, que vou ligar o gravador."
"Gravador?"
"Alô, testando. Um-dois, um-dois... Vamos lá, entrevista com Uruguaio, fonte do caso do mensalão, denúncia contra Palocci. Uruguaio, vírgula, que não gosta de ser chamado por este apelido, vírgula, afirma que até o ministro Palocci está envolvido no esquema de arrecadação ilegal de dinheiro para o financiamento das campanha do PT, ponto. Um minuto, o senhor falou com alguém antes?"
"Com este barulho? Tem uma obra aqui em cima."
"Não falou com outro órgão da imprensa, jornal, revista, rádio, TV?"
"Só com o senhor."
"Um minutinho. Deixa eu escrever na fita. EXCLUSIVO. Como é a denúncia?"
"Não sei. Eu tento dormir, minha mulher sugeriu ligar pra..."
"Deve ter se encontrado com alguém."
"Minha mulher?"
"O Palocci."
"O Palocci?"
"Se encontrou com alguém, era pra falar de caixa 2, certo?"
"Será?"
"Mas com quem?"
"Boa pergunta."
"Astral! Vamos chamá-lo de Astral. Palocci encontrou com Astral onde? Não pode ter sido no ministério, claro. Num shopping, tá batido. Num estacionamento, lobby de hotel... Ajuda aí, meu."
"Numa padoca?"
"Boa, para evitar câmeras de circuito interno. Numa padaria de Ribeirão Preto, vírgula, o ministro da Fazenda, vírgula, Antonio Palocci, vírgula, encontrava-se com Astral, vírgula, segundo denúncia de Uruguaio, vírgula, que não gosta deste codinome, vírgula, para negociar financiamento ilegal via caixa 2 da campanha do PT à presidência, ponto. O dinheiro era entregue... Como? Numa mala? Não. Numa baguete, isso. Preciso da voz de Astral, você sabe onde posso encontrá-lo?"
"Mas quem é Astral, afinal?"
"Um publicitário."
"Sério?"
"Deve ser. Não é você?"
"Eu?"
"Vai, pode falar, você liga assim, de uma hora pra outra, só pra fazer uma denúncia, você está metido nessa."
"Mas eu liguei porque tem uma obra aqui em cima."
"Tá, entendi, é dinheiro de empreiteira. O senhor quer dinheiro? A política da editoria garante o sigilo, mas não pagamos pelas informações. Quem paga é a..."
"Péra! Calma lá. O que você quer?"
"Confirme que você não é o Astral?"
"Mas não sou o Uruguaio?"
"Eu sabia! Preciso de uma voz, afirmando que testemunhou a entrega do dinheiro ao Palocci numa baguete, para podermos colocar no site e divulgarmos pelas TVs. Hoje em dia, sem voz, não dá."
"Tá, liga aí, eu falo."
"Já está ligado."
"Confirmo que o senhor ministro Palocci se encontrou com Astral numa padoca..."
"O senhor é de que planeta?! Tem de falar em código, se não, ninguém acredita. Pegou? Fala assim: A mosca pousou no pão francês, depositou a larva. Do bigode."
"A mosca pousou no pão francês, depositou a larva."
"E o do bigode?"
"Do bigode."
"Agora ri, porque corrupto ri de nervoso."
"Rá-rá-rá."
"Boa."
"Mas isso aconteceu, mesmo?"
"Como o Lula foi eleito, diz? E a grana do Duda? E o Zezé de Camargo, Luciano, coisa e tal, quem pagava, a militância? Conseguiram aquela grana vendendo estrelinha?"
"Você acha?"
"Este País é uma vergonha, os políticos estão sempre tramando. São 500 anos, amigão, 500 anos de exploração. E o povo faz o quê? Nada, só reclama. Mas você, não, é um herói! Resolveu dizer o que sabe. Precisamos pegar esses caras, dar um basta, não acha?"
"E alguém vai acreditar nisso?"
"Você não está arrependido, está? Seu gesto foi patriótico. Tem muita gente do nosso lado. Parabéns. E obrigado. Uruguaio."
E desliga. Sua mulher se aproxima e pergunta:
"Reclamou da obra aqui em cima?"
"Olha, faz as malas e vamos pra casa da sua mãe, porque sujô."
"Você bebeu?"
"Não sei o que deu em mim. Agora, estou envolvido até o talo."

Escrito por Claudio Vereza às 23h13
[ ] [ envie esta mensagem ]

22/11/2005


Obras do Canal Bigossi

As contas das mudanças no contrato de concessão da Rodosol ainda não foram esclarecidas pelo governo estadual. Por isto, o projeto que abre crédito suplementar para início das obras ainda não foi aprovado. A obsatrução dos deputados independentes/oposição está funcionando e vários deputados governistas têm demonstrado muitas dúvidas a respeito.

Hoje, à tarde, o deputado Graciano Espíndula declarou o voto contra, caso não haja explicações convincentes por parte do governo! E nos bastidores, outros resmungam insatisfação.

A verdade é que os números apresentados pelo governo não batem!

Escrito por Claudio Vereza às 21h57
[ ] [ envie esta mensagem ]

21/11/2005


Arquivada representação contra Vereza

Pela quinta vez, uma falsa denúncia contra mim foi arquivada. Desta vez, e espero que seja a última vez, foi a Corregedoria da Assembléia Legislativa do E.Santo, por unanimidade de votos, a partir de parecer do Corregedor Geral, Deputado Geovani Silva, respondendo a questão de ordem que apresentei dias atrás (junto à qual anexei as certidões e acórdãos da Justiça de Minas Gerais e três decisões do Tribunal de Justiça do E.Santo, todas arquivando a falsa denúncia por total falta de provas. O Corregedor Geral recebeu da Justiça de Minas nova certidão comprovando a inexistência de proceso contra mim naquele Estado.

Espero que o velho assunto que, a cada vez que me posiciono firmemente contra os esquemas de corrupção no Estado, é requentado pelos meus adversários políticos, bastante conhecidos do povo capixaba.

Enfim, mais uma vez, a justiça foi feita!

 

Escrito por Claudio Vereza às 22h31
[ ] [ envie esta mensagem ]
Busca na Web: